Só os animais salvam


Em Só os Animais Salvam, vemos uma obra muito sensorial, que transmite ao leitor um pouco do sentimento de cada personagem, cada animalzinho que compartilha um pouco de sua história. Nesta obra a autora mostra que tanto a capa, quanto o conteúdo do livro são admiráveis. Distribuído em 10 contos, o livro traz a história de 10 animais, que narram ao leitor um pouquinho de suas vidas.


O ENREDO
Nove capítulos são narrados em primeira pessoa e apenas um deles é narrado em terceira pessoa, o capitulo do Urso.

Algo semelhante de todos os contos é que todos estes animais contam um pouco de como viveram em meio a guerras entre países, guerras diferentes entre países diferentes, mas de acordo com a narração, percebemos quais são os países mencionados.

PERSONAGENS
Temos aqui diversos personagens, mas os protagonistas de nossos contos são: camelo, gata, chipanzé, cachorro, mexilhão, tartaruga, elefante, urso, golfinho e papagaio.

Camelo: Um dos contos mais curtos do livro, se não o mais curto, onde o camelo narra sua vida sendo domado por um homem bêbado e sem escrúpulos, que conta histórias um pouco estranhas ao camelo, e que se surpreende ao final do conto com suas atitudes.

Gata: A Gata é um dos capítulos mais sensoriais do livro, enquanto ela narra sua vida atual, perdida entre trincheiras de uma guerra, com outro gato em meio aos soldados, e tendo um humano (que ela não chama de dono) que esconde seu romance com outro soldado. Ela narra também como era sua vida de luxo com sua antiga dona, que a amava muito.

Chipanzé: Aqui temos o capítulo mais diferente de todos os contos. O chipanzé aparentemente é treinado para se comunicar e agir como humano, e todo o capítulo é narrado em cartas dele sendo enviadas a outra chipanzé e uma humana. A outra chipanzé também está sendo treinada para agir como humana, e a narrativa de suas atitudes são bem humoradas.

Cachorro: Este cachorro não é um cachorro comum, que tem um dono e que vive em uma casinha. Ele viveu com seu mestre durante muito tempo, e narra como foi banido de seu posto ao lado do mestre que tanto amou, e foi parar em um campo de guerra. O final deste capítulo é muito interessante.

Mexilhão: Um mexilhão aventureiro, que junto com seu amigo decide viajar no casco de diversos navios, narra suas aventuras com garotas e a felicidade em suas viagens, mas mesmo um mexilhão pode ser afetado pela guerra.

Tartaruga: Este é o capitulo mais longo do livro. A tartaruga passou por diversos donos e narra todo amor e angustia que passou por anos ao lado de tantas pessoas, mas que por fim, conseguiu buscar aquilo que mais sentia vontade de fazer.

Elefante: Uma elefante fêmea que narra sua estória junto com seu bando, aprendendo sobre seus ancestrais juntamente com sua irmã, e entendendo a relação das constelações do céu com as histórias deles. Aqui temos um amor muito forte entre os elefantes e o quanto eles são dedicados quando se trata de família.

Urso: O único conto narrado em terceira pessoa, alterna entre dois ursos em um zoológico, conversando com uma bruxa e uma história narrada pela ursa, sobre um príncipe persa preso em um corpo de urso.

Golfinho: Uma golfinho fêmea que nasceu e foi treinada para ajudar a procurar e marcar minas no fundo do mar, todo o conto é narrado de forma póstuma, como se fossem cartas da golfinho a uma humana.

Papagaio: O último conto é também bem curto, mas bastante impactante. Comprado ainda jovem em uma loja de animais, recebeu muito amor de sua dona durante sua vida, sempre fora muito bem cuidado e tratado, sempre sendo prioridade na vida de sua dona, mas quando os tempos de guerra chegaram, algumas coisas passaram a ser diferentes.

MINHAS IMPRESSÕES
Mas o que mais se destaca no livro é o sentimento, dos animais por humanos, dos humanos pelos animais e dos animais pelos animais. Há um amor muito forte em certos contos, emocionante, que leva ao coração do leitor como um animal é capaz de amar e de se sacrificar por seus sentimentos.

Uma curiosidade do livro é que a autora expõe a homossexualidade entre os animais de forma muito natural, não que todos os contos haja animais que se relacionam com o mesmo sexo, mas a forma narrada é leve e descomplicada, até mesmo quando se trata de alguns humanos.

O livro me surpreendeu, eu já havia lido uma resenha dele, mas não me chamou muito a atenção, por não ter destacado este fato sensorial e amoroso que o livro tem. Peguei ele emprestado de uma amiga, por ter visto muitas fotos dele no instagram literário, e decidi dar uma chance a leitura. No começo é um pouco estranho, mas durante a leitura criei muito amor por cada conto.

CITAÇÕES FAVORITAS

“Buscando ficar por perto, acabei colocando uma grande distância – uma guerra inteira – entre nós. Mas agora estou voltando para casa. Guarde esta ave para meu lanche, se possível” (pág. 44)

“Gosto do fedor. Bafejo e respiro de volta. Agarro-me ao lustre que pende do teto e me balanço, para a frente e para trás, para frente e para trás. Coço a bunda e cheiro o dedo” (pág. 54)

“É, mas você é um mundo por si mesmo, assim como eu”, ela disse “Somos todos pequenos mundos” (pág. 106)

“Um pensamento cruzou minha mente: por que os humanos escolhiam enxergar tantos animais nos arranjos das estrelas? Quem juntou os primeiros potos?” (pág. 142)

"É pior ter liberdade e perdê-la ou nunca saber o que é ser livre?" (pág. 194)

SOBRE A EDIÇÃO
Mais um livro da Dakside Books, que tem a fama das melhores edições. Este livro tem uma capa bem representativa de seu conteúdo, e dura. Ao abrir o livro você encontrará um pequeno quadrinho escrito “Este livro pertence a.... E ao meu querido pet...”. As páginas são amareladas e as letras estão em um tamanho bom, não cansam os olhos. Já vem com um marcador de fita de cetim estreita.

DADOS
Ceridwen Dovey, Só os Animais Salvam – Ano 2017 – 237 páginas – Darkside Books (selo Darklove)

ONDE COMPRAR

Comentários

back to top