eu não quero seguir em frente, por hoje

Já sinto que o ano chegou com todas as suas forças sob mim, afinal, já é agosto. Quanta coisa aconteceu desde que escrevi O Fim dos Anos. É até difícil começar a escrever do nada, porque é sempre assim que começam meus overshares, aconteceram tantas coisas de lá pra cá e foi um intervalo pequeno de tempo que nem consigo acreditar que tudo mudou tão rápido. Ouvir Sufjan Stevens ao escrever sobre isso não é muito fácil, ficar emotiva demais e de uma hora para outra é minha especialidade. Parece besteira, mas não é. O problema dos outros sempre parece pequeno mesmo, de vez em quando, o que não significa que é.

Tirei um pouquinho do tempo que (ainda) tenho pra fazer um pequeno life update, pois é muito necessário, eu preciso escrever sobre as mudanças pra lembrar delas quando eu sentir que tudo parou. 

Quem me lê pelo twitter (se é que existem pessoas que fazem isso) sabem que eu quase sempre estou me sentindo mal/triste/agoniada com alguma coisa, eu ainda não descobri o porquê. O ponto não é esse. Eu só queria compartilhar algumas coisas e de vez em quando ter alguém para dizer que vai ficar tudo bem, mesmo sempre parecendo que não vai. É estranho se sentir assim a maior parte do tempo, seria uma mentira da minha parte dizer que estou o tempo todo me sentindo mal, mas o que me assusta é ser muito tempo. Me atinge de uma hora para a outra como, por exemplo, hoje. Soube que o ator que vai interpretar o Finch, de Por Lugares Incríveis, foi anunciado e eu fiquei muito feliz, me emocionei bastante já pensando em como será minha reação ao assistir ao filme. Enfim. Horas depois, fiquei super triste lembrando da minha 'eu' de 2017 lendo o livro e se identificando com os personagens. Muita coisa aconteceu de lá para cá, eu melhorei muito e ao invés de ficar feliz, fiquei triste. Porque eu nunca sei quando estou sendo eu mesma ou se estou caminhando para o nada. 

Daí entro nas redes sociais e só leio ou mensagens muito ruins ou mensagens de "vai ficar tudo bem","você é muito forte", "levante a cabeça e seja forte porque tudo isso vai passar, siga em frente". Os dois tipos de mensagem tem o mesmo efeito: me deixam pior do que eu já estava. Por favor não leiam isso com uma voz arrogante, mas sim, eu sei que sou forte, se não fosse isso eu acho que não teria aguentado metade das coisas que já aguentei, apesar dessa relação de ser forte e aguentar as dificuldades ser uma besteira. Mas poxa, se eu não for forte depois de TUDO, fico no mínimo decepcionada. As piores coisas que acontecem na vida não se resolvem com fortaleza, mas sim com o tempo. A fortaleza é uma consequência não muito exata do tempo. Então, para abafar meus sofrimentos pequenos, aqui vai um pequeno life update:

- Saí do trabalho que tinha, porque já não estava mais aguentando o ambiente de lá, muito menos os atrasos de pagamento, tudo estava se tornando muito tóxico. Então saí, porque não aguentei mesmo, já acordava às 5 da MANHÃ chorando, me arrependendo de >acordar< e me arrumar pra ir até àquele lugar. Logo, portanto, começou minha procura por OUTRO emprego que fosse menos pior.

- Passei em dois seletivos, um para ser estagiária de inglês em uma escola do ensino fundamental e outro para ser professora de inglês for real em um curso de inglês, pelo menos desse só falta o teste psicológico. Fiquei feliz, muito feliz. Porque sim, preciso demais do dinheiro e preciso fazer alguma coisa que me tire do casulo e, como boa workaholic, gosto de sentir que estou fazendo algo para mim e para alguém, que não estou parada no tempo. Gosto de fazer várias coisas ao mesmo tempo, gosto de interagir e me cansar de coisas boas. Coisa que não tenho feito ultimamente.

- Consegui mais uma oportunidade: um amigo meu, sabendo do meu desespero ao procurar um emprego e do nosso plano de criar uma empresa voltada ao ensino individualizado, contatou uma moça que estava precisando de professora particular para o filho dela e guess what? O menino estava precisando demais de ajuda com o inglês, então estou já na fase de combinar com ela os melhores horários  pra dar suporte pro garoto.

- Estou saindo mais, tenho visitado mais museus, tenho feito coisas que com certeza não faria ano passado, por medo. Nisso, surgiu o desejo de mais uma vez tentar participar do projeto Document Your Life. Então, além de ser um escape para a minha mente super pessimista e autodestrutiva, sair tem sido divertido e uma forma de gravar e fotografar lugares.

- Conheci e perdi uma pessoa especial. Muito especial para uma vida, muito especial para explicar, palavras serão sempre poucas e ainda estou na minha fase de 'luto'. Superando.

- Quero e vou entrar em um curso específico de matemática e de filosofia. Quero aprender e me apaixonar por essa área. Previsão de início sério do curso de matemática: agosto. Previsão de início sério do curso de filosofia: agosto, se tudo der certo.

- Assisti palestras de filosofia e fiquei muito interessada em mergulhar em algo mais profundo desde então.

- O blog fez um ano de existência: uma realização e tanto, porque nunca tive um blog que durou tanto assim e fico feliz de ter um lugar onde eu me sinta confortável o suficiente, feliz o suficiente e realizada o suficiente. Espero sempre trazer o meu autêntico pra cá, conheci pessoas incríveis com blogs incríveis. O Faerie Reads vai continuar, sim, mesmo quando eu pensar em desistir de tudo, eu vou persistir com essa ideia, sempre. Até quando for mais velhinha, até quando eu existir e puder escrever. 

- Fiz 21 anos e um senso estranho de urgência tomou conta de mim, bem como um senso de consciência de que não sou mais o que eu era com 14 anos. Eu não sou mais uma garotinha.

- Estou caminhando pro fim do meu curso de Letras, só resta mais um ano e não faço nenhuma ideia sobre o que vou escrever no tcc, help me. A felicidade é real e o medo também.

- Blog faz aniversário: blog com layout novo. Quero manter isso como tradição, mudar o layout apenas quando ele fizer aniversário, como muitos outros blogs fazem. Mas gente... Isso exige uma maturidade que eu não tenho quando entro na lojinha da GBML. Inclusive, este layout aqui foi ela quem fez e eu não poderia ter escolhido algo melhor para o Faerie Reads. Ficou lindo, não ficou?

E é isso, acho que resumi as coisas mais importantes que aconteceram nos últimos cinco meses, o descontrole ao comprar livros e bolo continua por aqui, bem como as mesmas ideias mirabolantes. O caso é que eu estou entrando na vida adulta e tudo, todo mundo, até eu mesma tenho me exigido mais. E de vez em quando, vejo pessoas dizendo que a vida é assim, mas algo dentro de mim não quer acreditar nisso e não acredita. Penso que no dia em que a ficha cair, vai ser bem doloroso e talvez eu não saiba como lidar, bem como não sei lidar com muitas coisas. A vida adulta já não me chama, me puxa. Eu tenho que trabalhar, eu tenho que ganhar dinheiro, eu tenho que estudar, eu tenho que ter sucesso, eu tenho que dar o meu melhor, eu tenho que seguir em frente, mas eu não quero. Eu quero deitar e ouvir minhas músicas favoritas, quero olhar pro meu teto e pensar no futuro e esquecer que o futuro se faz. Eu não quero seguir em frente, eu quero esquecer que algo me espera, só hoje. Só hoje.
Com carinho a quem me lê, 
Haise.

Comentários

  1. Te entendo totalmente, mas a verdade é que a nossa geração está precisando relaxar um pouco, sim, é difícil, mas acontece que nossa geração é muito dependente, não aprendemos a crescer e a amadurecer e "do nada" somos jogados na vida adulta e acabamos nos perdendo, também sinto isso.
    Mas as vezes tudo que precisamos fazer é relaxar e deixar a vida seguir...Tentar curtir as pequenas coisas que temos e parar de pensar tanto.

    Sobre o TCC, também estou passando por isso (faço ADM), mas decidi que irei fazer algo que eu gosto e entendo, algo relacionado a livros. É um trabalho chato e eu preferia não ter que fazer, mas já que o MEC nos obriga, vou fazer do meu jeito. Recomendo que faça o mesmo.

    Sucesso! A vida só está começando =D

    ResponderExcluir
  2. Haise, é bom saber que tem pessoas passando pelo mesmo que você. Eu, por exemplo, estou passando por uma fase BEM difícil de autoconhecimento e não está sendo nada fácil. Nunca sei quando será o meu humor do dia, e isso é estressante para mim e para as pessoas a minha volta.

    Enfim, fico muito feliz por suas conquistas, de verdade! Aproveite muito!

    Com carinho,
    Lídia.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

back to top