Veneno, Sarah Pinborough


Veneno começa com o ponto de vista de Lilith, a bruxa má da historinha da Branca de Neve.

Lilith é uma mulher cujo o sangue possui descendência de bruxas e também de realeza, ela se casa com um rei viúvo e mais velho do que ela, e acaba ganhando uma enteada e a apelidando de Branca de Neve, apelido este que passou a ser usado por todo o reino, pois a bela menina possuía pele branca como a neve, que era uma contraste grande com seus cabelos negros.

Branca de Neve sempre achou que sua madrasta fosse má com ela, pois seu pai dividia a sua atenção entre Branca e Lilith, e a rainha má gostaria de toda a atenção voltada a ela. Mas após um acontecimento na festa de aniversário de Lilith, Branca finalmente percebe que o sentimento verdadeiro que a madrasta sentia por ela era inveja. Inveja de quem Branca era.

O mesmo acontecimento na festa, faz com que a semente da amargura cresça no coração empedrado da rainha, que acaba encontrando um caçador e arrumando um motivo para que ele vá em busca da pequena princesa, que estava desaparecida, e volte com o coração dela em mãos.

A história é conhecida por todos, portanto, creio que não há spoilers até aqui.

A partir do momento que o caçador aparece, a história começa a tomar um rumo diferente da história original, personagens e ideia diferentes dos contos de fadas que estamos acostumados a ver desde pequenos.

O príncipe aparece um pouco depois da metade do livro, mas com o desenvolver da história percebe-se que ele possui uma personalidade diferente dos contos, entretanto não é o único com uma personalidade diferente. A própria Branca de Neve é uma garota selvagem que gosta de montar cavalos e andar com roupas de homem pela floresta e pouco se interessa por um casamento.

Há ainda um cross-over com outros personagens de outras histórias.

“Quando ele descobriu sobre a bisavó dela na floresta, a velhinha encarquilhada na casa de doce (...)”

“A rainha nunca era enganada por Aladim”

“Os sapatinhos de diamantes. É claro”

O livro é todo narrado em terceira pessoa, nos possibilitando experimentar o ponto de vista de diversos personagens, e ao final ainda temos o primeiro capitulo do próximo volume da série.

Indico este livro para aqueles que gostam de ver a história contada por uma perspectiva diferente.



MINHA OPINIÃO

Achei bem legal ver um ponto de vista diferente em um conto que eu costumava escutar quando era criança.

Achei a narrativa muito boa e intrigante, super leve e bem convidativa, uma pena que as páginas do livro sejam brancas! Não gosto muito de páginas brancas, pois parecem mais um holofote.

Quando ganhei este box em um sorteio, pensei que seria algo muito estranho de ler, pois vi várias resenhas dizendo que era meio erótico e que estragou a infância desses leitores. Na verdade, existe muito pouco erotismo, foi acrescentado a história de forma natural, normal talvez, e não senti minha infância sendo destruída, na verdade me senti lendo uma fanfic, não querendo ofender a autora nem quem gosta de fanfics, mas vi o livro como um paralelo inventado.

O final do livro me surpreendeu, achei bem inesperado e gostei bastante também! Creio que nos faz pensar bastante nas escolhas da vida, e que devemos refletir muito bem antes de tomar qualquer decisão.

DADOS


Veneno, Sarah Pinborough – 224 páginas – Ano: 2013 – Editora Única

Comentários

  1. Ei, Haise!
    Eu já vi tanta gente falar deste livro, mas é a primeira vez que leio uma resenha do mesmo. Tinha uma ideia totalmente errada do que ele se tratava, e fico feliz de ter me equivocado, parece ser muito bom. Nunca li o livro, mas concordo com você quando disse que não sentiu sua infância sendo destruída pelo livro, acredito que temos total condição de separar histórias da infância (passado) das histórias atuais que ''imitam'' os contos de fada. Enfim, não sei se me expressei bem, mas acho que cada um tem sua opinião, né?!

    Adorei a resenha!
    Beijos.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

back to top